Editoras portuguesas se unem para vender eBooks

A livraria wook passa a vender títulos das editoras portuguesas no formato de eBook e disponibiliza grande parte do acervo das editoras. A iniciativa foi muito bem recebida pelo público que timidamente começa a adoptar o novo suporte para obras literárias. Esta nova plataforma de vendas deverá ser, no futuro, grande parte da receita das editoras e facilitará a disseminação da cultura pela sociedade. A fase de transição não é um mar de rosas. A nova geração adere com muito mais facilidade ao novo formato e a geração do papel tenta se adaptar atraída por facilidades que vão desde o custo, mobilidade até as funcionalidades funcionalidades oferecidas. O desafio, em Portugal, é reduzir a alíquota de imposto que é cobrado sobre o preço do livro electrónico. Comparando-se com o mesmo livro no formato de papel verifica-se que é competição injusta. isto ocorre porque o livro publicado no formato electrónico é tachado como programa de computador o que eleva sua alíquota do IVA para 23% bem distante do livro impresso que é 6%. No inicio do ano, em Janeiro de 2012, o IVA cobrado sobre os livros electrónicos descarregados da Internet desceu para os 7% em França e para os 3% no Luxemburgo. Isto causou reacção do parlamento europeu que se pronunciou no sentido da impossibilidade da redução pois o livro electrónico é considerado um serviço que é prestado electronicamente e como tal não faz parte da lista com item que os estados membros tem permissão para reduzir. Se considerar que o livro electrónico tem seus custos de produção e distribuição diminuídos e portanto pode chegar a um preço mais barato ao leitor a diminuição do IVA só contribuiria para que baixasse ainda mais tornando mais popular e consequentemente aumentando o número de exemplares vendidos e, no todo, aumentando a arrecadação do imposto o que compensaria sua redução. Por outro lado haverá uma economia na pegada de carbono vez que a produção de papel e a impressão dos exemplares demandam grande quantidade de arvores e agua como matéria prima. Importante peso na decisão. Fica lançado o desafio para os congressistas que podem aproveitar esta oportunidade de rever esta questão e dar uma ajuda no desenvolvimento do sector e da cultura nacional.

Comentários

comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *